Rosa Righetto

Amor Paixão e Sentimentos

Textos


LINK DO SITE
http://www.rosarighetto.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=3146298
Música***Equilibrium (2002) - (Epic Orchestra.m)

ACAMPAMENTO MALDITO

A desgraça de Katia começou quando ela e o namorado Luiz resolveram passar um fim de semana diferente. Foram acampar em companhia de alguns amigos numa área reservada para campi. 

Assim que chegou ao local indicado pelo roteirista Luiz reuniu os amigos e disse-lhes:
- bom pessoal, montem suas barracas e divirtam-se, eu e Katia vamos um pouco mais adiante, nos veremos daqui dois dias.

O casal segue dois quilômetros à frente acampando numa área solitária, montanhosa, totalmente inóspita. Já passava da meia noite, barraca pronta candeeiro pendurado na arvore pintava o clima o momento se fazia bastante acolhedor, próprio para um casal cheio de energia e vontade.  

Luiz e Katia, embalados pelo murmúrio do vento fizeram amor apaixonadamente, seus lábios deliciavam no fruto rubro do paraíso dos prazeres. Katia gemia e deleitava nas carícias envolventes do seu amado, chegando ao ápice, extremamente extasiados adormeceram.  

O dia amanheceu o sol surgiu com sua luz brilhante a qual tornava o ambiente mais romântico Tudo transcorria normal Luiz e Katia passaram todo o dia namorando.

À noite fizeram amor de todos os jeito e maneiras, extasiados resolveram dormir mais cedo, pois teriam que pegar estrada de volta ao amanhecer. Já se fazia madrugada o coração de Luiz quase saltou pela boca, acordou assustado se agarrou a Katia. O urro ensurdecedor se fazia do lado de fora, Luiz olhou pela fresta e avistou um vulto enorme descendo a montanha em direção à barraca.

Ele viu o horror negro e medonho entre as sombras da noite, viva e sórdido, aterrorizante, um enorme monstro parecia ter saído das profundezas do inferno. Antes de serem atacados ainda pensou Luiz. “Seria uma vida atemporal exilada banida da Terra, surgindo ali naquele momento”?  Seria isso possível?

Todos os pensamentos lhe atingiam como flechas em sua mente. Luiz e Katia agarradinhos nem se mexiam.  Quanto então o monstro vai pra cima da barraca rasgando a dentadas. A primeira vítima Luiz, que se vê preso nos caninos do monstro.

Katia tremia feita vara verde, vendo Luiz sendo trucidado gritava muito, porém por estar longe do grupo ninguém ouvia. Quando pensou em correr o monstro solta Luiz e parte pra cima dela cravando suas garras felinas em suas costas.

Luiz bastante machucado todo ensanguentado presencia quietinho aquela cena macabra, Katia estava sendo devorada por aquele ser demoníaco. Logo o silêncio, o assombro se vai. Luiz rasteja quase sem forças chega perto de Katia e perde o sentido.


Ao amanhecer conforme o combinado o grupo de amigos com tudo pronto para partirem esperam o casal. Como Luiz e Katia não apareciam resolveram ir até eles.
 
Quando ali chegaram à cena era dantesca, apavorante, Katia totalmente estraçalhada, com intestino e demais órgãos expostos. Luiz ainda sobrevivia. Muito fraco, pois havia perdido muito sangue.
Um dos amigos pergunta: - como foi isso cara? Que monstro os atacou? Luiz balbuciando responde:
 
- Foram momentos cruciantes, não pude fazer nada por Katia, tudo escuro não deu pra ver o que era. Tirem-me daqui, perdi muito sangue, levem-me imediatamente a um hospital sinto estou morrendo, não estou suportando as dores da carne e da alma.   

Os amigos pegaram Luiz e partiram daquele local. Chegando comunicaram as autoridades competentes que providenciaram a busca dos restos mortais de Katia.

 
Autoridades competentes enviou ao local um grupo de homens capacitados na captura de animais de grande porte. La chegando montaram guarda em tocaia na esperança de capturar o responsável por aquela tragédia.
 
Depois de um dia, dois, uma semana vendo o sol nascer e se por em meio aquela área montanhosa. O alimento que haviam levado estava acabando, a equipe já cansada planejava após aquela noite sairiam em retirada. Porém no adiantar da noite surge uma chuva torrente em meio a raios e trovões.

A gaiola suspensa bem no alto onde seguramente abrigava o grupo balançava, de repente em meio à tempestade um urro estridente ecoa entre as montanhas refletindo na imensidão. Entre um relâmpago e outro a figura do monstro se agigantou e se aproximou urrando medonhamente.

 
O monstro se pois de pé, ficando com quatro ou cinco metros de altura. A equipe tremeu, um deles disse quase que sussurrando:
 
- Ah! Vale-me Deus, que coisa medonha,
- se prepare pessoal, não pode haver erros, assim que o monstro adentrar a jaula para pegar a isca puxe o cabo de aço para trancafiá-lo. Em seguida lanço o dardo que ceifará a vida desse demônio.
 
Após o dardo lançado que atinge em cheio a criatura um urro detonador sacudiu as montanhas, a criatura se debatia dentro da jaula, logo foi se aquietando, aquela coisa medonha caiu ao chão. .
 
Foi tudo muito rápido, ocorreu exatamente conforme planejado, pois a equipe era preparada para tal situação. O dia já havia amanhecido quando chegam ao local, autoridades, muitos curiosos, que para surpresa geral o monstro era um enorme urso negro assassino, tão grande como jamais visto.
 
Acho difícil falar em superação, Luiz até os dias de hoje faz tratamento psiquiátrico. O fim trágico crucial de sua amada Katia, os momentos angustiantes vão e vem, ronda e espreita sua mente. Dificilmente Luiz esquecerá o terror vivido.
******************************************************************************
Descrevo aqui uma história de terror bastante reflexivo, se for acampar seja qual for o local, jamais separe do grupo. Principalmente se for um local desconhecido.


Rosa Righetto
08/08/11
Rosa Righetto
Enviado por Rosa Righetto em 08/08/2011
Alterado em 10/08/2011

Música: Equilibrium (2002) - - Epic Orchestra.m

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras